Hemp Meds agindo ilegalmente no Brasil?

Envolvida em diferentes escândalos nos Estados Unidos, a Hemp Meds – ou Midway Meds, como às vezes gosta de ser chamada – tem agido de maneira inconsistente com a legislação brasileira e as regras da Anvisa para a comercialização e  marketing de produtos. A afirmação a seguir foi retirada da página da Midway Meds no Facebook:

“A Midway Meds tem como missão “Desenvolver, produzir, comercializar e distribuir medicamentos com base em CBD de mais alta qualidade e confiabilidade, promovendo saúde, segurança e bem-estar à população”.”

O grande problema nesta frase está na palavra “medicamento” e nas expressões: “promovendo saúde, segurança”. Conforme afirma a própria Hemp Meds, a empresa não produz medicamentos, pois não efetuou os testes necessários para a aprovação de um produto farmacêutico, seja ele fitoterápico ou não. Não há prova de eficácia e segurança para que esses produtos sejam farmacêuticos. Nos Estados Unidos, os produtos da Hemp Meds, Midway Meds e todas as outras subsidiárias são vendidos como suplemento alimentar.

A seguir, printscreens do site americano, que foi bloqueado para acessos no Brasil (quando se tenta acessá-lo do Brasil, o internauta é automaticamente encaminhado para o site brasileiro):

hm

hm2

O site afirma que a FDA (Anvisa americana) não avaliou os produtos da empresa com a intenção de tratar, diagnosticar ou curar doenças. Esses “medicamentos”, portanto, não são medicamentos e a empresa não pode alegar que são. As regras da Anvisa não são diferentes da FDA:

“A inspeção nas linhas de produção de medicamentos é um meio para comprovar seu funcionamento em acordo com padrões que garantem a qualidade dos produtos. Na inspeção, a linha de produção deve estar condizente com a descrição detalhada do processo de produção e com as metodologias de controle de qualidade nas diferentes etapas. O perfil de segurança e eficácia é obtido por meio da análise dos ensaios clínicos (fase 3) de produtos novos ou da revisão bibliográfica de utilização em diferentes subgrupos populacionais em produtos de uso tradicional.”

Os produtos da Hemp Meds não passaram por nenhum desses processos no Brasil. Assim, ao afirmar valor medicamentoso sem uma licença de marketing obtida junto ao órgão competente, a ação da empresa pode ser qualificada como propaganda enganosa.

Já no site brasileiro, onde o usuário pode comprar os produtos, a empresa é um pouco mais cuidadosa, mas ainda assim sugestiva. Sempre que alega valor medicinal, o site usa a palavra “CBD”, ou “canabidiol”, evitando o link direto entre o produto e o uso como medicamento. Ainda assim, imagens de médicos e informações sobre as “famílias RSHO”, que usaram o produto com fins terapêuticos, passam a mensagem de que se trata de um produto farmacêutico. O site, no entanto, possui um discreto link para a página da Hemp Meds no Facebook, onde constam as seguintes informações:

hm3

A empresa parece se beneficiar da rara fiscalização e denúncia de desvio de conduta que acontece no Brasil. As páginas do Facebook podem ser rapidamente removidas caso haja alguma reclamação ou processo, e a Hemp Meds dificilmente será punida.

hm4

Atitudes como essa demonstram quão irresponsáveis podem ser as atitudes de corporações internacionais em busca de lucro. Diversas famílias confiam na qualidade dos produtos da Hemp Meds e na transparência da empresa, que parece tentar confundir o público, ora se referindo a seus produtos como alimento, ora como remédio.

5 thoughts on “Hemp Meds agindo ilegalmente no Brasil?

  1. Pingback: Hempmeds se apropria do nome de outras marcas | Susan Witte

  2. Pois é e ainda não tiraram o .com.br do ar que saiu no Diário Oficial do dia 02 de agosto de 2016
    E nada foi feito com a tentativa de registrarem a Empresa Revivid no Brasil e ainda por cima contrataram um Empresa pra fazer esse marketing Calhorda aqui. Levando todos a crer que são os únicos que vendem no Brasil . Mas também a maior propaganda está no site da própria Anvisa. Gostaria que os meios de comunicação de jornais grandes aqui se interessassem por essa matéria, mas n conheço nenhum jornalista que de essa atenção.

  3. Pois é e ainda não tiraram o .com.br do ar que saiu no Diário Oficial do dia 02 de agosto de 2016
    E nada foi feito com a tentativa de registrarem a Empresa Revivid no Brasil e ainda por cima contrataram um Empresa pra fazer esse marketing Calhorda aqui. Levando todos a crer que são os únicos que vendem no Brasil . Mas também a maior propaganda está no site da própria Anvisa. Gostaria que os meios de comunicação de jornais grandes aqui se interessassem por essa matéria, mas n conheço nenhum jornalista que de essa atenção.

  4. Pois é e ainda não tiraram o .com.br do ar que saiu no Diário Oficial do dia 02 de agosto de 2016
    E nada foi feito com a tentativa de registrarem a Empresa Revivid no Brasil e ainda por cima contrataram um Empresa pra fazer esse marketing Calhorda aqui. Levando todos a crer que são os únicos que vendem no Brasil . Mas também a maior propaganda está no site da própria Anvisa. Gostaria que os meios de comunicação de jornais grandes aqui se interessassem por essa matéria, mas n conheço nenhum jornalista que de essa atenção.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *